Angelo Oswaldo de Araújo Santos
Belo Horizonte, 1969

..."Entretanto, a cerâmica de Mary Di Iorio revela o talento inventivo da artista, que apresenta formas inéditas em interessante criação. Essa originalidade formal e cromática de seu trabalho confere-lhe o valor e a força que o transcendem à simples finalidade decorativa ou utilitária da cerâmica.A produção de Mary Di Iorio traz, realmente, a marca de sua personalidade criadora, que singulariza sua cerâmica e a informa enquanto obra de arte"...
_______________________________________________________________________________________________


Mari'stella Tristão
Belo Horizonte, 1980

..."Embora de constituição mignon, a artista Mary Di Iorio é portadora de uma energia incomum, que ela transfere para o seu trabalho, fazendo com que a cerâmica assuma uma dimensão nova no conceito das artes maiores atuais. Na cerâmica de Mary os volumes e os vazios têm igual importância. Os cortes, as aberturas, os contornos ou os caminhos que suas formas percorrem articulam-se em plena concordância no desenvolvimento e na cristalização das idéias"...

_______________________________________________________________________________________________


Mario Schemberg
São Paulo, 1981


..."Tenho sempre uma expectativa favorável em relação aos artistas, do Brasil Central, pelas muitas surpresas que tenho recebido dessa região, desde Humberto Espíndola a Siron Franco"...

..."Gostei do trabalho de Mary, e tive várias surpresas, sobretudo deparar com uma síntese de organicidade autêntica com íntuíção topológica e um senso requintado da elegância da forma, maliciosarnente discreta e elegante.
Desde essa primeira conversa-discussão, fiquei convencido das muitas dimensões da arte de Mary Di Iorio. Ela se aproximou intuitivamente de uma das descobertas maiores da escultura deste século: as suas relações intrínsecas com a Ciência fundamental da forma - que é a Topologia - assim como as relações entre topologia e Erotismo, já conscientes na arte erótica tantrica da lndia.
Os elementos visuais desempenham certamente um papel destacado na cerâmica de Mary Di Iorio, parece-me contudo que o seu apelo mais intenso e oculto se encontra na riqueza e sutileza de seu discurso tátil, que paradoxalmente utiliza o caminho visual"...


_______________________________________________________________________________________________


Walmir Ayala
Rio, Março de 1982


..."Conheci Mary Di Iorio recentemente, numa exposição no Rio de Janeiro, e me espantei do nível de criatividade de sua produção. Ceramista, seu trabalho afasta-se nobremente de uma conotaçâo puramente decorativa, para istalar-se no rítmo da organicidade fecundada pelo espaço e pela força do instinto. O barro (chamemos assim toda a matéria moldável que ela manipula) em suas mãos, assume a vitalidade mutante de uma metamorfose bruta, suas peças surgem como sobrevivências arqueológicas, de uma civilização mais pura em suas intenções.

A consciência da funcionalidade do objeto, ligada ao prazer da fidelidade às características da matéria prima, e finalmente a interferência criadora de uma projeção de ordem reflexiva sobre formas convencionais, fazem da experiência desta ceramista, pesquisadora e mestra, um momento pessoal e único dentro da arte brasileira de hoje. Numa terra como a nossa, rica em reservas naturais de argila, é incompreensível o estágio servil e incipiente da cerâmica artistica, apenas amenizado pelas oficinas esparsas da colonização oriental, o que não chega a indiciar um estilo, ou mesmo um vocabulário especificamente nacional para uma categoria que em muitos países do mundo sintetiza uma imagem do caráter e cultura de seus povos. No Brasil, é certo, a cerâmica de origem popular tem uma história a ser contada, e o que destaca a criação de Mary Di Iorlo é certamente a forte intuição criadora que retoma estas raízes arcaicas, e as condiciona a uma linguagem erudita que não estiliza invenção ínsita, mas informa sua pureza genesíaca de conotações críticas e conceituais"...

_______________________________________________________________________________________________


Pietro Maria Bardi
São Paulo, 1991


..."Eis como se apresenta a artista Mary Di Iorio, com suas idéias próprias, quando compõe cerâmica, descartando às vezes qualquer forma, para propor novas abstrações, às quais um público novo vai apreciar"...

_______________________________________________________________________________________________

Anna Hale
Rio de Janeiro, 12/1994
University of Wales, Aberystwyth


This book the Brazilian ceramist, Mary Di Iorio sets out to document with the use of lavish black and white photographs, the exploration of " an idea and its fulfilment" through the medium of clay. Maria Di Iorio states in the introduction "it is a plastic and poetic record - a document exposing the multiple possibilities in the exploration of a form, generating other forms." This is a lofty and heroic intention to undertake via book format"...

..."Despite the book`s shortcomings in this area, it does provide an intersting personal document of an ambitious ceramics project by a Brazilian ceramicist."


_______________________________________________________________________________________________



Frederico Morais


Rio de Janeiro, 1998


..."Mary Di Iorio, como situa-la no amplo e diversificado universo da cerâmica brasileira contemporânea?
Em primeiro lugar, é preciso destacar o fato de que, nela, aparecem interligados a criação, o ensino e a reflexão"
...

..."Metódica e coerente, avançando sem saltos e sobressaltos, Mary Di Iorio nunca perde o controle de sua proposta estética"...

_______________________________________________________________________________________________


Fernando Fazzi
Rio de Janeiro, 27/01/2001


..."Através da proposta de "A busca", Mary apresenta a figura humana num gesto raciocimante, inserida no mundo da Cerâmica, procurando sobre um velho jogo sem vencedores, o gesto final que apontaria uma vitória lógica e conclusiva. Na diversidade das formas dos encaixes, esferas, testes, etc. A obra se expande e evolui num arco que tange não só a linha do empírico, como ultrapassa a barreira do objeto da proposta, alcançando o individualismo transcendental da interpretação"...


_______________________________________________________________________________________________